•♥Fotos e Curiosidades♥• 
Feb
20

albumdasemana_18_02_2008_f_007.jpg

Sapão!!

Washington, 18 fev (EFE).- Paleontólogos descobriram em Madagascar um fóssil de um sapo gigante que mede 40,6 centímetros e pesa 4,5 quilogramas, e que viveu há cerca de 70 milhões de anos entre os dinossauros na África, segundo um artigo publicado na revista científica “Proceedings of the National Academy of Science”.

O sapo, com uma couraça grossa e com dentes, foi um anfíbio tão extraordinário que inclusive pode ter chegado a devorar dinossauros recém-nascidos, segundo os paleontólogos.

Por suas características tão excepcionais, os cientistas, liderados pelo paleontólogo David Krause, da Universidade Stony Brook, o denominaram “sapo diabólico”.

Os pesquisadores, que descobriram os ossos do sapo gigante no noroeste de Madagascar, acreditam que este anfíbio pertence à família de sapos que hoje em dia vive na América do Sul.

“Este sapo, se tinha os mesmos costumes que os sapos da mesma família de anfíbios na América do Sul, era bastante voraz. É inclusive possível que tenha devorado mamíferos, rãs menores e, levando em conta seu tamanho, até alguns dinossauros”, explicou Krause.

O paleontólogo encontrou pela primeira vez em 1993 ossos de rã extraordinariamente longos em Madagascar, uma área na qual já havia achado anteriormente fósseis de dinossauros e de crocodilos.

Mas só agora a equipe do cientista conseguiu acumular peças suficientes para reconstruir o sapo, e analisar seu peso e suas medidas.

Os fósseis do sapo datam do fim do período Cretáceo, entre 65 e 70 milhões de anos atrás, aproximadamente.

A equipe de Krause, que deu ao sapo o nome científico de “Beelzebufo ampigna”, trabalha com especialistas da University College de Londres para determinar que sua descoberta não pode ser relacionada com outros sapos da África.

Com suas características, o “Beelzebufo” pode ter sido o maior sapo a ter habitado a face da Terra, afirmam os paleontólogos.

Os cientistas determinaram que o sapo gigante poderia pertencer à família dos rãs ceratophrys da América do Sul.

A descoberta dos vínculos familiares do sapo gigante com anfíbios similares na América do Sul lança uma dúvida sobre as teorias do deslocamento dos continentes, indica Krause.

As teorias indicam que o que hoje é Madagascar foi separado da América do Sul pelo oceano durante a era em que o sapo gigante teria vivido.

“Mas as rãs não podem sobreviver durante muito tempo em água salgada”, disse o paleontólogo.

Por isso, a descoberta dos cientistas prova, segundo Krause, que havia alguma conexão terrestre com a América do Sul naquela época, talvez através da Antártida, então muito mais quente do que é hoje.



7 Responses to “Descoberto fóssil de sapo gigante que viveu com dinossauros na África”
  1. 1
    Poleto Says:
    20:40

    Mau sapao!!Mau sapao!!
    eahuaeh

    :********:

  2. 2
    Anna Eliza da Costa Says:
    10:24

    adorei ! e sou uma crinça de 9 anos de idade e adoro dinossauros sei quase tudo sobre eles mais nunco vi este

  3. 3
    barbara louisy da costa Says:
    18:52

    eu amo estudar sobre os passados e adorei a do sapo e tbm sei tudinho sobre o passado tenho 11 anos e vou ser uma esploradora vou entra no mundo dos dinoussaros e descobri mais e mais do que eu sei…ushauhsuahsua vai ser muito legal

  4. 4
    pedro Says:
    18:48

    meu mt daora to fazendo uma pesquisa e consertesa vo pega essa materia em tão pf ta pra ressumi pra mim ate amanhã??

  5. 5
    baboom Says:
    4:39

    oi achei muito legal este sapão, porque minha irmã é sapona e ela acho legal também

  6. 6
    Rodrigo Says:
    14:57

    Olá eu sou Rodrigo, tenho 10 anos, ganhei prêmio de destaque de ano com as melhores notas do colégio, adorei o comentário, mas, como é possivel se os continentes se separam a 200 milhões de anos atràs, depois da pangéia?

    Atenciosamente Rodrigo.

  7. 7
    wedsooodj Says:
    18:13

    esse sapo e ffeo

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.